06 março, 2007

Cláudia Semedo e o Dez

“Este projecto ensina as pessoas a sonhar”
Sempre com um sorriso e brilhando encanto a todos os que consigo se cruzavam, Cláudia Semedo estava claramente feliz, tanto com o projecto e o resultado do trabalho que em equipa desenvolveram como com o seu desempenho no mesmo.

Tens estado envolvida em vários projectos, nomeadamente televisivos, qual a diferença entre o Dez e todos esses outros?
Sinceramente não encontro grande diferença. Este é um projecto que tem um elenco de qualidade, não estou obviamente a falar de mim (risos), estou a falar dos colegas com quem tive oportunidade de trabalhar. Bom elenco, bom texto, bons profissionais (desde o Operador de câmara, ao Director de fotografia, à produção, à assistência da produção, à Maquilhadora etc…). É um projecto de qualidade e a única diferença que se calhar se pode encontrar é que nenhum de nós foi remunerado, acho que muitas vezes a grande remuneração não vem através do vil metal, do dinheiro, mas através de outras coisas. É bom poder participar em projectos de qualidade e crescer, acho que essa é a grande remuneração que levamos daqui. Crescemos todos um bocadinho.

Sendo que és ainda uma actriz jovem, sentes-te bem a trabalhar com uma equipa que pertence a uma geração mais próxima da tua?
Não senti que houvesse necessidade que eles fossem mais velhos, foram extremamente profissionais naquilo que faziam e em momento nenhum senti o peso de sermos mais jovens. Quando acabávamos de gravar, o tipo de conversa que se proporcionava era outra, até porque as gerações são muito mais próximas, mas só nesse aspecto encontrei diferenças.

Como foi o teu primeiro contacto com o Dez?
Ouvi falar no projecto pela primeira vez quando me fizeram o convite para fazer de Ana neste primeiro levantar de véu do projecto. Andei depois a navegar pelo site e fiquei triste por apenas nessa altura ter tomado conhecimento desta iniciativa. Acho que de projectos assim, com esta qualidade, já se devia ter ouvido falar há mais tempo.

O DEZbeta estreará on-line dia 10 de Março no site oficial www.odez.net. Revela-nos um pouco acerca da tua representação nesta curta.
Eu faço de Ana. A Ana é uma mulher extremamente viva. Uma mulher dócil e carinhosa que gosta do marido e do conforto que este lhe pode proporcionar. Ao mesmo tempo, é também activa e gosta de um certo lado leviano, tem um amante que está perdido de amores por ela. A Ana gosta da vida que lhe é proporcionada e só quer um amante porque gosta de se divertir.

O Dez surge num contexto nacional com muito poucos projectos jovens e inovadores a conseguir atingir algum mediatismo. Quais são as perspectivas futuras para este vosso trabalho?
Creio que este projecto ensina as pessoas a sonhar, quem puser os olhos nisto percebe que está aqui uma equipa que sonha, que acreditou e suou para o concretizar. Acho que era bom que isso incentivasse outros, que têm boas ideias, a fazer o mesmo. No panorama nacional, espero que a estreia on-line traga patrocínios para se poder fazer o filme, para ai se poder ver a qualidade do Dez, para se poder percorrer um caminho e continuar um crescimento conjunto.





Blog do Dez - ASP

1 comentário:

kingkong disse...

thanks infooo ...........


biro tiket pesawat